Vida boa bonita e barata

Vida 3B: estilo de vida (11)

Posted on: setembro 17, 2017

Essa matéria, apesar de ser radicalmente dentro da proposta desse blog, pode ser uma maneira de inspirar e mostrar como viver melhor com menos coisas à nossa volta.
O legal da matéria é que fala sobre além do paradigma da “cultura material x sociedade de consumo” e fala sobre decisões e atitudes que podemos aplicar no dia-a-dia.
Posto a seguir um resumo, o  texto completo está disponivel aqui.

Fonte: Site Viver fora do sistema

Veja como vive o casal classificado como “Classe F” pelo IBGE

N. Dias 27,jul,2016

Carlos e Patrícia de Porto Alegre vivem a vida “classe F”: sem TV, com banheiro seco fora de casa, morando numa casa de barro e muito felizes praticando a Permacultura no espaço Naturalmente, em Porto Alegre.  Carlos conta que o IBGE os visitou e o pesquisador disse que a situação deles era classe “F”. “F de Felizes!”.

Carlos: “A história do Espaço Naturalmente começou em 2007, quando cansado do modelo de vida urbano e de apenas reclamar do “sistema”, sem ver uma solução prática, resolvi questionar o porquê deveria esperar me aposentar para daí sim buscar alguns sonhos, como por exemplo, o de ir morar em um sítio… Nesta época eu cursava Educação Física (6° semestre) e já fazia alguns artesanatos com Bambu, como hobbie. No final do mesmo ano resolvi trancar a faculdade e me aventurar em busca do sonho de ser livre, buscar uma vida mais simples e o que realmente importava para mim”.

Resolvi me questionar e principalmente questionar o porquê deveria esperar me aposentar para daí sim buscar alguns sonhos.
Não tinha (clareza do que queria) mas sabia bem o que não queria.

“Nessa transição não tinha claro um objetivo, porém sabia muito bem o que não queria mais”.

“Sempre me sentia muito bem no campo, então decidi me mudar para a zona rural de minha cidade, Porto Alegre. Vendi meu carro e fui em busca do sonho de liberdade, sem saber direito o que iria encontrar. O hobbie com o Bambu se tornou em profissão e em pouco tempo passei a fazer móveis de bambu também. Na metade de 2009 consegui adquirir um pequeno imóvel (600m²), que em zonas rurais costumam ser muito baratos. Neste mesmo ano conheci a Permacultura e me identifiquei de imediato com sua filosofia e práticas. Fiz alguns cursos em Ecovilas que trabalhavam com a Permacultura. No final de 2009 iniciei o projeto Espaço Naturalmente, em minha casa, onde até hoje testamos e aplicamos as técnicas de Bioconstrução e Permacultura e ministramos cursos relacionados a estes temas”.

Casa de Carlos e Patrícia, feita integralmente com recursos naturais.

Os escassos recursos financeiros, que na época pareciam ser um problema, na verdade foram uma oportunidade para desenvolver o uso de materiais alternativos, como fundação de pneu para estruturas leves, construção com Terra Crua, utilização do bambu para tendas e estruturas etc. São materiais que temos em abundância em zonas rurais (terra, bambu etc).

Os problemas na verdade são desafios e servem para sairmos da zona de conforto e experimentar o novo, se adaptar, criar…

Em um destes cursos que ocorrem no Espaço Naturalmente, em 2011, conheci Patricia, que começou a frequentar e ajudar no projeto. Ela cursou técnico em Agropecuária e também estava em busca de uma vida simples em área rural. Desde então somos um casal que toca o projeto juntos.

Hoje a fonte de renda deles é a marcenaria de Bambu, onde confecciona móveis e artesanatos, ministramos cursos sobre Bioconstrução com Terra Crua, Saneamento Ecológico, Movelaria de Bambu e prestamos assessoria em Planejamento Sustentável e Bioconstrução.

Muitas vezes deixamos nossos sonhos de lado por medos e incertezas, mas quando buscamos algo que realmente faz sentido, no fundo do coração, devemos ir atrás sem medo. Sempre terá os desafios, mas se encaramos com vontade e persistência é praticamente certo que teremos êxito, é uma grande experiência de vida! É claro que para nascer o novo, o velho deverá morrer… ou seja, temos que abandonar nossos antigos padrões de pensamento e ação e estar abertos para um novo olhar, que no início não saberemos bem o que é e como vai ser, mas criamos isso a medida que caminhamos”.
Um carro para andar em uma estrada à noite e percorrer centenas de quilômetros só precisa dos faróis e iluminar uns 30m a sua frente… só temos que estar seguros dos próximos passos a seguir, organizar e perseverar.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: